Programa de inovação Blue Bio Value

O programa foi reforçado com o lançamento do Blue Bio Value a nível nacional, que aposta no surgimento de novas ideias de utilização sustentável dos recursos marinhos e com potencial para se transformarem em novos negócios.

A Fundação Oceano Azul e a Fundação Calouste Gulbenkian anunciam a abertura das candidaturas para a edição 2021 do Programa Blue Bio Value, que tem como principal objetivo “contribuir para a procura e descoberta de mais soluções sustentáveis e baseadas no oceano, que promovam o desenvolvimento de um novo modelo económico não destrutivo do capital natural azul”.

Para edição deste ano, o programa foi reforçado com o lançamento do Blue Bio Value a nível nacional, que aposta no surgimento de novas ideias de utilização sustentável dos recursos marinhos e com potencial para se transformarem em novos negócios. O programa é dirigido à comunidade académica nacional e pretende “aproximar” a ciência da gestão, da economia e do marketing, para melhor assegurar a posterior transferência de tecnologia das universidades e centros de investigação para o mercado.

Destina-se a estudantes, alumni e investigadores do ensino superior, nas áreas da química, bioquímica, bioengenharias e ciências naturais, entre outras relacionadas com a bioeconomia azul, e também com o empreendedorismo, gestão e marketing, esta iniciativa terá duas sessões, uma no Porto e outra em Lisboa.

O Blue Bio Value Aceleração avança também para a sua quarta edição. Este acelerador visa “atrair e capacitar” PME e startups, oferecendo um programa com foco no “desenvolvimento de competências de gestão e acesso a investidores, criando mais oportunidades para negócios sustentáveis e economicamente viáveis entrarem no mercado global”. Os participantes terão acesso a uma rede de mentores nacionais e internacionais, parceiros especialistas no sector, potenciais clientes e contactos comerciais.

Para Filipa Saldanha, subdiretora do Programa Gulbenkian Desenvolvimento Sustentável, a biotecnologia azul permite “produzir bens e serviços essenciais à nossa qualidade de vida com um impacto mínimo no clima e na biodiversidade”. “Capaz de transformar sectores económicos vitais – como o alimentar, saúde e bem-estar ou de bens industriais. Contribui para a descarbonização das sociedades e proteção do capital natural, enquanto acrescenta valor económico em múltiplas cadeias de valor. O Blue Bio Value é a aposta conjunta das Fundações para a prossecução das metas de energia e clima da União Europeia e da tão necessária recuperação económica sustentável”, afirma.

Fonte: O Jornal Económico

Partilhar:

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email