Esposende vive Verão diferente, mas com o sentimento “que vai correr tudo bem”

Cancelamento de eventos para evitar a aglomeração de pessoas é a grande alteração que se regista em Esposende, nesta época balnear. De resto, o concelho está preparado para receber os visitantes, com toda a segurança.

Com a abertura da época balnear, o concelho de Esposende prepara-se para viver os seus meses mais movimentados do ano, neste Verão num contexto diferente, marcado pela situação da pandemia provocado pela Covid-19.

“Vai ser um Verão diferente, mas acredito que vai correr tudo bem na mesma”, antevê o presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Benjamim Pereira refere que a grande diferença deste ano será o facto de não haver eventos, uma vez que a autarquia que lidera foi das primeiras a cancelar todos os concertos, feiras, festas e outras iniciativas passíveis de promover a aglomeração de pessoas, como estratégia de combate à pandemia.

“A única coisa que será diferente este ano será mesmo a ausência de eventos, porque toda a restante estrutura está montada para vivermos o Verão. Temos alojamento, temos a nossa restauração que serve a gastronomia a que ninguém resiste, temos as empresas que promovem actividades turísticas e de lazer. Tudo está disponível para receber as pessoas que nos queiram visitar”, referiu o autarca, que foi o convidado desta semana do ‘Da Europa para o Minho’, programa da rádio Antena Minho, com o eurodeputado José Manuel Fernandes, produzido e apresentado por Paulo Monteiro.



Benjamim Pereira considera que o facto de não haver eventos “não será impeditivo” para as pessoas desfrutarem das riquezas do concelho, até porque as pessoas estão a optar cada vez mais pelo recato, evitando multidões para não correrem riscos desnecessários.


Além das praias, recorda que Esposende tem muitos outros motivos que justificam a visita, como fazer uma caminhadas pela Ecovia do Cávado e pela do Litoral, visitar o Castro de São Lourenço ou percorrer o roteiro do megalítico.
No entanto, as praias são mesmo o principal cartaz turístico do concelho e este ano há novas regras a cumprir, seguindo as directrizes dadas pela tutela.
Neste aspecto, o autarca considera que “tudo vai passar pelo bom senso das pessoas” porque acredita que ninguém andará de fita métrica na areia a verificar o cumprimento das distâncias obrigatórias.
“Poderá haver um ou outro problema, porque isso há sempre, mas em termos gerais as pessoas são cumpridoras e vai correr tudo pelo melhor”, considera Benjamim Pereira, prometendo que apesar de a vigilância das regras não ser competência do Município, a Câmara vai estar atenta, através da sua protecção civil, para actuar sempre que tal seja necessário.
A situação que o autarca teme é que a lotação das praias acabe por afastar as pessoas para áreas não vigiadas, o que pode criar riscos acrescidos.
O edil apela ainda aos veraneantes para que utilizem as zonas de estacionamento gratuitas que o Município arrenda para colocar à disposição dos automobilistas junto às praias, para manter o trânsito ordenado.

Fonte: Correio do Minho

Partilhar:

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email